O envelhecimento aumenta o risco de doenças ou é o intestino “envelhecido” que aumenta?

06/04/2020   Saúde / Alergias e Imunidade / Tubo Digestivo

Existe alguma relação entre os micróbios que vivem no intestino e o envelhecimento? E isso pode influenciar o desenvolvimento de doenças?

Desde que nascemos até morrermos os micróbio que vivem connosco vão mudando. Não são sempre os mesmos ou na mesma proporção. Fatores alimentares, emocionais, o nosso ritmo de vida, a qualidade do sono estão entre as principais causas de mudanças naturais nestes micróbios. Como causa não natural principal está a medicação, dos quais os antibióticos são os mais impactantes.

Ainda que a identidade da espécie do hóspede exerce um controlo significativo sobre o microbioma, dentro de um hóspede específico, os factores ambientais são os controladores dominantes da composição do microbioma, refere o estudo científico Adv Nutr. 2019 Nov 7. O Microbioma é o conjunto de microorganismos que vivem dentro de nós.

 

E isso pode influenciar o desenvolvimento de doenças?

Segundo um estudo publicado em 28 de Outubro de 2019 na Geroscience, as bactérias benéficas diminuem com a idade enquanto os bacteroides, bactérias oportunistas que podem ser prejudiciais, aumentam com a idade. No estudo referem os cientistas que “os resultados sugerem que a manutenção de micróbios intestinais benéficos na proporção específica correspondente a determinada idade, pode contribuir para uma idade mais jovem do microbioma intestinal.”

Neste estudo estudaram 65 pessoas com idades entre 70 e 82 anos, ou seja todos idosos. Separaram em dois grupos, não saudáveis e saudáveis. No grupo dos “não saudáveis” colocaram os que já tiveram cancro ou A.V.C., os que tinham doenças cardiovasculares ou pulmonares agudas e crónicas, diabetes ou degeneração neurológica. No grupo dos “saudáveis” colocaram os que nunca tiveram ou tinham estas doenças. O que eles viram foi surpreendente. Havia uma diferença notória entre o tipo de bactérias que viviam no intestino destes dois grupos tendo sido identificadas bactérias nos “saudáveis” que ajudavam a prevenir a diabetes e obesidade.

 

Então podemos entender que a alimentação, emoções, estio de vida e medicamentos afetam as bactérias que vivem no intestino. E o tipo de bactérias que vive no intestino afeta o risco de desenvolver doenças associadas à idade afetando por conseguinte também a imunidade destas pessoas.

Entre outros factores, o tipo de intestino de cada pessoa, especialmente idosos, é determinante na sua imunidade bem como em doenças como a diabetes, pulmonares ou cardiovasculares.

 

Se quer saber mais recomendo que leia também:

Ritmos, flora intestinal e humanos

8 Dicas para ter boas defesas